sábado, 26 de agosto de 2017

Luz


Os homens ainda se impressionam com as luzes.

Não importa quanto tempo passe ou quão evoluído seremos, o céu estrelado haverá sempre de nos chamar a atenção. Ou até mesmo a cidade de pedra com todas as suas luzes brilhantes em alguma madrugada de sexta-feira. Somos o que somos, atraídos pela luz brilhante em meio a escuridão.

sábado, 19 de agosto de 2017

Dentro de nós


“Nós não vemos o que vemos, nós vemos o que somos. Só veem as belezas do mundo aqueles que têm belezas dentro de si”


(Rubem Alves)

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

[Resenha] Mestre das Chamas - Joe Hill

    
Título: Mestre das Chamas

Autor: Joe Hill

Páginas:  592

Editora: Arqueiro

Sabe aquele autor que você quer ler até a lista de mercado? Esse é Joe Hill para mim, leio qualquer coisa dele sempre! Desde que peguei o livro de contos dele, Fantasmas do Século XX, que eu não consigo parar de lê-lo. 

     Como diz a Alessandra: Joe Hill é amor!

     Sim! Amor!! Então por favor, Joe, não deixe meu amor acabar!! 
     
     O que eu mais gosto na escrita do Joe Hill é o toque irônico que ele coloca em suas histórias. Mesmo no momento de maior tensão, ele consegue fazer piadinhas. Adoro isso!

     Mas preciso ser justa, não é porque eu gosto de um autor, que não vou dizer que não gostei de uma obra, então preciso dizer que fiquei um pouco decepcionada com Mestre das Chamas.

     Pois é, eu também me decepcionei. Talvez estivesse esperando algo mais intenso e melhor que Nosferatu... porém, "Mestre das Chamas" passou longe disso.

     Na verdade em alguns momentos me lembrou muito o pai dele no auge das drogas. (Pra quem não sabe Stephen King usava muiiitaaa droga, e escrevia. Tem livros dele que ele sem se lembra de ter escrito. Esses são os livros mais chatos do autor, com descrições em excesso e assuntos perdidos no meio da trama.)

     A história é uma distopia, pós apocalíptica adulta. Há um fungo, Escamas de Dragão, consiste em uma especie de escama que nasce no corpo do hospedeiro e o faz entrar em combustão espontânea. 

     Ninguém sabe como ou onde essa praga começou, alguns morrem poucas horas após adquirir o fungo, outros demoram dias, e algumas pessoas aprendem a controlar e até usufruir de seus efeitos colaterais, se tornando “X-Men” das chamas...

     Achei essa coisa da Escama de Dragão excelente! Adoro temas inovadores nos livros. Imagine você pegando um fungo desse na fila do banco, e de repente, PUFF, explodiu.
"Harper Grayson já tinha visto muita gente pegar fogo na TV, todo mundo tinha, mas a primeira pessoa que viu pegar fogo de verdade foi no parquinho atrás da escola."Pag. 10
     O mundo está um caos, os EUA caiu, e uma enfermeira contaminada com as Escamas de Dragão precisa se proteger para proteger seu filho ainda no ventre. Um bombeiro, másculo, bem-humorado, cheio de talento e mistérios é uma especie de príncipe encantado, contrapondo o pai do bebê da enfermeira, que parece o Gastão, saído da história da Bela e a Fera.

     Vou falar desses personagens; a enfermeira é o tipo de protagonista que eu me apaixono fácil. Tem sua dose de inocência e acredita muito no amor e nas pessoas erradas, mas em contrapartida, é forte e determinada. Dá sua vida para ajudar os outros, seu coração é maior que ela mesma. Fora que fiquei imaginando o quão linda ela ficou coberta por essas escamas pretas e douradas pelo corpo.

     O Bombeiro, um homem forte e bem humorado que consegue controlar as chamas dele e dos que estão próximos. Ele sabe como fazer com que um infectado consiga sobreviver e usar seu poder para um bem comum. 

     Já o ex-marido de Harper é um monstro, um homem egoísta, fútil, egocêntrico, nojento, asqueroso, insuportável... Não canso de xingar esse ridículo.

     No quesito criação de personagens, Joe Hill é mestre. Isso não dá pra negar.

     A história é arrastada e me lembrou muito Stephen King, (para quem não sabe, Joe Hill é filho de Stephen king). Eu particularmente, não consigo ler o King, não vou dizer que ele é ruim, apenas que, há autores que não escrevem pra gente, é o meu caso com o King... 

     É isso mesmo. Uma história incrível, com personagens maravilhosos, mas que se perderam no meio de tantas páginas. Foi difícil ler, foi difícil terminar a leitura... Prolixidade, seu nome é Joe Hill.

     Neste Mestre das Chamas, eu fiquei triste, decepcionada e cansada da leitura... 

     Apesar de ficar encantada com esses três personagens e com os coadjuvantes, foi impossível gostar da narrativa. O livro realmente se salva pelos personagens, mas a história é decepcionante.

     Ficou na média. Pontos positivos e negativos. Nada demais. Não supriu minhas expectativas. 

     Recomendo que leia e tire suas conclusões.
"Em certo sentido, claro, eu acho que todo mundo sempre morre no meio de uma boa história. Da sua própria história. Ou da história dos seus filhos. Ou dos netos. A morte é sempre dureza para os viciados em narrativas."Pag. 30

E para encerrar a Promoção 101 com chave de ouro, está aqui a resenha do blog Tô Pensando em Ler.
Seja bem vinda no My Life e muitíssimo obrigada por ter participado!