domingo, 20 de maio de 2018

Viajando sozinho?


Muitas pessoas já me perguntaram como é viajar sozinha, então decidi dedicar um post a isso antes de falarmos mais sobre as aventuras na Alemanha.
E então, como é viajar sozinho?
A primeira coisa que me vem em mente é "se virar". Toda a preparação da viagem desde procurar o hotel e definir o roteiro é feita por você mesmo e isso às vezes pode dar um pouco de trabalho, geralmente eu levo uma semana para procurar tudo o que preciso na internet. E se por um lado há certo trabalho, no outro há a flexibilidade e liberdade de escolher onde você quer e quanto tempo quer ficar nos lugares que quer visitar. Segue a listinha de algumas vantagens e desvantagens:

Desvantagens:
  • Selfies de montão ou ter que pedir para as pessoas na rua tirarem foto;
  • Ninguém para compartilhar seus comentários malucos sobre o que está vendo;
  • Atenção 100% do tempo em onde está indo, horários, locais, dinheiro, comida...

Vantagens:
  • Você escolhe todo o seu roteiro;
  • Conversa com outros mochileiros também sozinhos; 
  • Atenção 100% fazendo você absorver cada detalhe.


Independente se você for viajar sozinho ou em grupo, simplesmente vá se tiver esta oportunidade. Há lugares incríveis no mundo para serem descobertos, culturas diferentes a serem vistas e experiências diferentes a serem vividas. Para todo lugar que você vai, volta sempre com mais bagagem cultural e sobre como o mundo é lá fora, vê que o mundo é muito mais aquilo do que a caixinha preta em que vivemos. 
E há sempre aquele tal ditado, que podem tirar tudo da sua vida, menos o conhecimento e tudo aquilo que você já viveu. 

Boa viagem!

terça-feira, 1 de maio de 2018

Indo para a Alemanha?

Para quem acompanha o insta, viu fotinho de passaporte e avião e com destino a Alemanha, e antes de descrever as peripécias nesta terra, vamos aos meus breves comentários sobre a cultura, o povo, a comida e a hospitalidade. 

Tudo começa comigo chegando em Frankfurt totalmente perdida e precisando pegar dois trens para chegar ao destino final, uma cidadezinha chamada Lippstadt. Durante todo o percurso várias pessoas foram bem receptivas quando pedi informação e prontamente me indicaram o caminho (tudo em inglês, o que me deixou mais fascinada ainda pelo país, pois você pode parar qualquer um na rua e eles falaram em inglês). 
Sendo quem eu sou, obviamente que me perdi nas trocas de trem e peguei o errado, mas sem o tal do estresse, um alemão me indicou os bondes até o centro da cidade e de lá um grupo na rua me chamou um táxi e o melhor: aguardaram comigo na rua até o táxi chegar. 
A história sobre os alemães serem "não me toquem" é verdade, mas são muito receptivos e prestativos com os estrangeiros, inclusive na volta para o aeroporto até me ajudaram com a bagagem.  

A culinária alemã confesso ser muito boa, batata, arroz, macarrão, vegetais, frutas, linguiça (deliciosa)... não passei aperto quando o assunto foi comida e a bebida então nem se fala, as cervejas eram muito boas. 



As pessoas são muito educadas, as ruas limpas e muito bem arquitetadas e você se sente seguro 100% do tempo, nem o clima frio atrapalha a vida na Alemanha onde todas as engrenagens parecem funcionar corretamente.








G E R M A N Y












De longe foi o país que mais gostei de visitar e adoraria retornar para esta terra e vamos entender mais um pouquinho ainda sobre a Alemanha nos próximos posts onde veremos os pontos turísticos e mais sobre a história deste lugar fantástico.
Confira mais fotos no instagram em: my life ou zombierapha

domingo, 15 de abril de 2018

Imagine all the people living life in peace


As flores solitárias
De uma montanha distante qualquer
Que sempre passam despercebidas
É como se elas não estivessem ali?
Passar a vida sendo a observadora
Nunca sendo o centro
Faz os dias passarem mais rápidos ou mais lentos?
Perguntas sem respostas nos surge ao travesseiro
E a vida é só mais um fardo
Que insistimos em carregar
E a liberdade é só uma utopia
Que nunca vamos alcançar.
Daniela Silva

sexta-feira, 23 de março de 2018

Sonho e poesia


 

“Todo sonho tem algo de poesia, e toda poesia, toda arte, talvez se aproxime do sonho, nesse sentindo. [...]”



Freud, A Interpretação dos Sonhos

 
Para finalizar, o My Life está fazendo 8 aninhos. Obrigada a todos que tem acompanhado o blog e assim que o tempo permitir, alguns sonhos e poesias aparecerão mais por aqui. 

 

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

CityPass Chicago - parte 2/2


Meu segundo dia em Chicago foi rápido e com menos atrações do que o sábado. 
Acordei cedo e peguei um táxi para ir até a igreja, se você é de alguma religião, vale a pena pesquisar se há alguma igreja por perto (a minha não era tão perto), mas valeu a pena cada segundo. 
Deixei combinado com o mesmo taxista que me levou, me buscar, então não tive nenhum problema de locomoção do centro para o subúrbio e do subúrbio para o centro - se você for transitar por si mesmo nesses lugares, tenha em mente que há pedágios dentro da cidade, então sempre esteja com algumas moedas ou notas baixas. 




Quando voltei ao centro fui utilizar minha última atração do CityPass: 360 Chicago. É um prédio bem alto que te dá uma vista de realmente 360° de toda a cidade. Você pode ver o Norte, Sul, Leste e Oeste através de vidros enormes. 
Se no dia anterior vi Chicago a noite, ver durante o dia também foi incrível. Recomendo a visita e recomendo mais ainda ter um celular/câmera bons para tirar foto.


A última parada foi no Navy Pier, um Pier muito bonito e extenso ao lado do lago Michigan (que mais parece o oceano). Há algumas atrações como roda gigante e carrossel e você ainda pode fazer uma bela caminhada ao longo de toda a extensão do lugar. Como estava frio, fiquei pouco no pier, mas tenho certeza que no verão deve ser uma delícia ficar observando o lago e os prédios de Chicago. 










N A V Y    P I E R








Em seguida fui para a estação central para voltar para a cidade em que eu estava hospedada, cheguei às 14h para pegar o trem das 16h, resultado: Não tinha mais bilhetes e precisei pegar o trem das 20h e acabei chegando uma hora da manhã no hotel. Minha dica: compre as passagens de trem com antecedência. 

A aventura em Chicago acaba aqui, mas em breve teremos mais posts sobre viagens e outras aventuras, acompanhe lá no insta para não perder as fotos e atualizações do blog.